sexta-feira, 14 de maio de 2010

Um só sentido

sala colorida, luz indefinida
ângulos difusos, cantos obtusos
roupa espalhada, parte rasgada
pele contra pele, em carrocel
palavras gemidas, outras faladas
sensações potenciadas muitas adivinhadas.

mãos que se agarram, a nádegas e seios,
línguas que se tocam, molham e moldam,
momento de corpos em movimento,
sexos que tocam, se unem e se fundem.

presença de espírito corrompida
por sensações sinusoidais
eu sou-te, tu és-me, nós somo-nos
alto e baixo invertido, tudo sentido.

8 comentários:

intimidades disse...

Lindo

Beijos
Paula

Akrasia disse...

Agora percebo porque andas tão desaparecido,andas bem ocupado...andas sentindo...
Chega o verão,chega a tua poesia,bonita como sempre!
bju grande

Laura disse...

Encontra-se aqui um homem vulgar? ;)
Vim deixar o rasto do meu novo endereço, e deixo beijos também
;)

pecado original disse...

Bonita forma de dar sentido à vida :)

Vulgar disse...

Paula,
lindo sentido.
beijo

Vulgar disse...

Akrasia,
é caso para se dizer que devia ser verão todo o ano.
Beijo

Vulgar disse...

Laura,
deixa rasto, beijos o que quiseres.
prometo que tomarei conta daquilo que deixares.
Beijo

Vulgar disse...

pecado original,

é não é? e é universal.

beijo