segunda-feira, 23 de março de 2009

Homo Felix

Numa vida curta, única e irrepetível não podemos passar ao lado da felicidade.
E no entanto parece que não sabemos onde procurá-la, será no consumismo desenfreado de bens, férias, sexo, álcool, drogas?
Pelo menos o que nos chega, através da televisão, revistas, filmes são promessas de futuros idílicos que nos ajudam, quanto muito, a suportar o presente acinzentado.
Somos infelizes por não sermos felizes...paradoxalmente...porque nos vendem uma "euforia perpétua" que gera sofrimento, culpa ou sentimento de exclusão.
Somos infelizes, se calhar, porque não compreendemos que a felicidade é um momento fugaz, e uma sensação efémera, um júbilo que depressa passa.
Como li algures radicalizando o discurso, a vida é um estado de sofrimento contínuo interrompido por breves momentos de felicidade.
Acho que a sabedoria, “la sagesse” como dizem os francófonos, para além de outras coisas, também consiste em ir aceitando esses pequenos nadas, dando mais atenção aos que nos rodeiam, às pequenas coisas que nos acontecem, deixando de perseguir não se sabe bem o quê!

14 comentários:

i just can´t get enough disse...

Não existe bem nem mal que dure para sempre.É pena ou talvez não...Há quem pense que a felicidade aniquila-nos será?

Vulgar disse...

i just cant´t get enough,
Talvez...o vicio dela, a sua busca irracional, talvez aniquile.
Diversificar as fontes, baixar a dependência, desfocar o objecto da suposta felicidade...mas isso é contra o teu próprio nome...se bem percebi.
Bjs

Blanche disse...

acho que a felicidade não devia nunca ser conjugada com o verbo ser.
Mas sim com o verbo estar. faz toda a diferença.

beijos.

i just can´t get enough disse...

Pois...acho que vou alterar o meu nome para get enough. Cansei de alcançar o inatingível. Mas que existem momentos perfeitos existem já os senti demasiadas vezes :)
Beijinho

pecado original disse...

Talvez a vida seja uma benção pontuada por momentos menos bons. E talvez a felicidade não seja uma meta mas efectivamente um caminho. Depende do ponto de vista :)

A Silenciosa disse...

Será possivel sentar á beira rio, sentir o sol nas costas, respirar fundo e pensar que existe mais felicidade?

Ver uma criança rir, e pensar que deveria ser melhor?

Receber um "quero-te" e pensar no depois?

E eu sou de que planeta?

Vulgar disse...

Blanche
Concordo com o verbo, só não pode é ser conjugado no presente.
Bjs.

Vulgar disse...

I just..
Existem momentos perfeitos retrospectivamente...
Bjs

Vulgar disse...

Pecado,
...é o copo meio cheio...
Também acho que não é uma meta...mas sim uma busca permanente.
Bjs

Vulgar disse...

Silenciosa,
São essas "pequenas coisas" que fazem a diferença.
Bjs

Iris R. Costa Barroso disse...

Creio que se pode estar feliz, aliás acho que so assim podemos conjugar a felicidade, com o verbo estar e no presente, no instante, no momento em que vemos nascer uma flor, uma criana, ao ouvir o primeiro choro de um bebé, o primeiro suspiro, no instante em que acabamos de beijar alguém que amamos, no instante em que sentimos um formiguiro de baixo da pele que nos faz sentir, que nos recorda que estamos vivos. Depois desse instante, não sei o que acontecerá.

Para mim, só se é feliz no presente, o passado parce sempre pouco e por isso não é completo e o futuro, ainda não foi, não senti, nao sou.

Isto faz sentido?!

Vulgar disse...

Iris
Claro que faz sentido.
O que digo que é retrospectivo é a consciência daquele momento. Quando no final do dia pensamos, foi um dia perfeito, gostei, esqueci-me de tudo e ainda estou com este sorriso parvo...mas já não chega, é preciso mais.
O presente é fugaz, 5 minutos atrás é passado.
Bjs

vita disse...

O mal é procurarmos constantemente sermos felizes e nem reparamos que a felicidade está mesmo ali, um sorriso, um carinho, um abraço, um beijo, são momentos.

Estamos tão ocupados a tentar encontrar a felicidade que nos esquecemos de ser felizes;)

Vulgar disse...

vita
portanto não se escreve com F grande mas com muitos efezinhos mais pequeninos...
Bjs