quinta-feira, 11 de junho de 2009

o sapo e a cerveja

"... um recente anúncio publicitário inglês enaltecendo os méritos de uma marca de cerveja mostra até que ponto o mal-estar da diferença sexual penetrou nas nossas consciências.

a primeira parte encena um conto de fadas muito conhecido: uma jovem caminha ao longo de um rio, avista um sapo, leva-o ao peito, dá-lhe um beijo e, evidentemente o sapo feio transforma-se, como por milagre, num belo moço.
mas a história não acaba aí. o moço lança um olhar cobiçoso para a jovem, atrai-a a si, beija-a, e a jovem transforma-se numa garrafa de cerveja que ele brande triunfalmente...

no que diz respeito à mulher, o seu amor (indicado pelo beijo) faz do sapo um belo homem, uma presença fálica plena e inteira... em compensação o homem reduz a mulher a um objecto parcial, causa do desejo...

... o que nunca obtemos é o par "esperado" da linda jovem com o belo moço, porque o suporte fantasmático desse "par ideal" teria sido a figura inconsistente de um sapo beijando uma garrafa de cerveja."

em, a subjectividade por vir - Slavoj Zizek

5 comentários:

alfabeta disse...

Enfim... sem palavras.

:)

tronxa disse...

se a mulher beijasse o sapo e ficasse com um vibrador, era bem pior....

e se o vibrador "beijasse" a mulher e ela se tranformasse numa pilha gasta... aí era o triunfo da preguiça sobre o desejo!!

eheheheheheeh

bjnhssssssssss de bom fds pa tu

Hellena disse...

Tem premio Mouse de Ouro p/ vc, lá no Atrevida.
Te indico a ele com todo o meu carinho
Bjssssssss

Vulgar disse...

alfabeta,
ou demasiadas para aqui serem ditas...
um beijo

tronxa,
ehehe... sempre bem humorada...
a propósito... não terá a preguiça triunfado sobre o desejo nas ultimas eleições? a avaliar pela abstenção...
um beijo

outras refleções,
parece que aqui na net acontece o contrário, o par fantasmagórico é a linda jovem e o belo moço assente na consistência do sapo beijando a garrafa.

Vulgar disse...

Hellena,
agradeço muito a tua bondade e gentileza, mas nessas coisas sou um pouco "bicho do mato"...
um beijo, troiana.