terça-feira, 14 de julho de 2009

Corações gastos


"...Casou três vezes para se divorciar três vezes. A culpa era só dele que se cansava de ter estranhos corpos ao seu lado. Não entendia a sua vida quanto mais a dos outros e o que começava como companhia acabava em tédio assegurado. Por vezes fala com elas por telefone. Nunca se esquecem do seu aniversário e telefonam-lhe. Uma delas manda-lhe flores, estrelícias, as suas preferidas. Nunca discutiam, viviam uma vida confortável e depois diziam que partiam, que queriam ter uma família, filhos que crescessem..."

Pedro Paixão em "Os corações também se gastam"

Abri o livro nesta página... obrigou-me a ler mais algumas... interessante.

10 comentários:

Felina disse...

Errar é humano... mas repetir o mesmo erro três vezes tststs

Vulgar disse...

talvez porque o desejo abstracto perdura para além das vontades momentâneas e circunstanciais...
beijo

i just can´t get enough disse...

Mas por outro lado, recorda-me as pessoas que possam sentir medo de ser felizes, a insatisfação impera, será? Talvez nos falte observar aquilo que ele consegue ou não observar. Este lado ou simplesmente o outro lado.
Beijinho

Diabólica disse...

Passei só para deixar um beijinho!

alfabeta disse...

Gostei, vou comprar o livro.

:)

Vulgar disse...

I just,
... isso parece-me física quântica...
um beijo... e não observes demais.

Vulgar disse...

Diabolica,
então está bem
outro

Vulgar disse...

alfabeta,
depois diz-me, mas tenho a sensação que não vais gostar.
beijo

Iris R. Costa Barroso disse...

Terei que ler também! Fiquei intrigada.

Beijo,

Vulgar disse...

Iris,
não conheço o homem nem tenho comissão...apenas me identifiquei com outras passagens do livro,
ou não fossemos todos feitos do mesmo material.
beijo