quarta-feira, 1 de julho de 2009

minuto anti prosa

estou teso e pronto, enquanto,
de actos libidinosos fazemos projectos
em pontas de línguas molhadas de afectos
durezas pontuadas suavizadas por gestos.

vou fundo no teu ventre arqueado
desejo renovado desde a puberdade
mãos percorrem, sensações ocorrem
capta o momento flash e movimento.

articulo palavras nada candentes
poderias sentir por te sentir quente
quero que não queiras, ficas pendente
e troças de mim injurias ausentes.

solto-te a língua em colos e regaços
roço-te as carnes apalpo os espaços
sinto-te nos bicos depressa hirtos
descontrolo-te o tino já descontínuo.

é todo teu, desmepertence
é toda minha, desmerecida
é tudo nosso, temporariamente
é de ninguém, definitivamente.

somos egoístas à vez
somos altruístas talvez,
procuras descargas de ondas eléctricas,
procuro jactos de combustão instantânea.

15 comentários:

Hellena disse...

Adorei ...
Principalmente este trecho
"é todo teu, desmepertence
é toda minha, desmerecida
é tudo nosso, temporariamente
é de ninguém, definitivamente".

Bjsssssssss

lasatine disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Vulgar disse...

Hellena,
é um prazer ter-te aqui.
agradeço a tua amabilidade, coragem e por gostares dalgumas parvoicies que escrevo.
um beijo que me desmepertence.

pecado original disse...

Assim até parece simples ;)

Iris R. Costa Barroso disse...

O que e que o Verão tem que deixa toda a gente assim: quente, excitada, com barreiras morais mais baixas e fáceis de saltar?!

Eu gosto do Verão. Gosto por causa disto, porque gosto de ver as pessoas mais despidas de preconceitos.

Excelentes metáforas e para mim a última é a melhor de todo o poema:

"Procuro jactos de combustão instantânea."


PS: Só espero que não chegue a mach 3 em menos de 10 minutos.

Um bom Verão!

Vulgar disse...

Pecado original,
e não é?
um beijo

Vulgar disse...

Iris,
obrigada pelo comentário.

ps: nesta dimensão não há tempo nem velocidade, apenas sensações.
5 minutos podem ser iguais a 50.
um beijo

Akrasia disse...

Bem desconfiava que não eras assim tão certinho...ultimamente andas a desvendar o teu lado B ou será o lado A este...??E o post anterior..ui!!!!

Ps:Está delicioso,tudo é nosso temporariamente!!

bjo

Vulgar disse...

Akrasia,
todos os dias acordo e lanço uma moeada ao ar... ás vezes sai cara... outras sai coroa...
o poema saíu num dia em que a moeda ficou de pé.

ainda bem que gostaste.
um beijo

{Nanda}_FX disse...

simplesmente lindo...
simplesmente perfeito...
Afinal somos uma constante inconstante...

bjs

Vulgar disse...

Nanda,
bem vinda a este cantinho.
...ou de uma inconstância constante.
um beijo

alfabeta disse...

Temos de tudo um pouco, em alguns casos, mais para umas coisas e menos para outras.
:)

Iris R. Costa Barroso disse...

E um beijo pode durar a eternidade de um segundo.

Estou contigo nessa dimensão.

Beijo,

Vulgar disse...

alfabeta,
ou estou a perder faculdades ou esse teu sorriso está a ficar parecido com o da Gioconda... enigmático.
beijo

Vulgar disse...

Iris,
até que enfim concordamos em alguma coisa...
beijo