quinta-feira, 28 de maio de 2009

a inteligência tem sexo?

as raparigas são mais tagarelas, e os rapazes sabem melhor orientar-se no espaço.
quem não viu infindáveis listas de porque homens e mulheres são como são? normalmente atribui-se uma razão histórica, os homens ocupados pela caça desenvolveram certas aptidões de referenciação espacial e as mulheres com a prol a seu cargo desenvolveram melhor as capacidades da linguagem.

no entanto o QI médio de homens e mulheres é o mesmo: 100 pois claro.

o peso dos estereótipos, da família, da sociedade e da cultura é que criam a diferença entre os cérebros de homens e mulheres, à partida são iguais, é a sua plasticidade que permite a diferenciação, a mesma plasticidade que é responsável pela diferença entre o cérebro de um jogador de rugby e o de um pianista.

nas sociedades baruyas da nova-guiné as mulheres não têm o direito de subir ás arvores e portanto não sabem subir. para os baruyas se elas não o sabem fazer é porque são por natureza incapazes...

7 comentários:

korrosiva disse...

Seja de um homem ou de uma mulher, um cerebro, que não seja exercitado nem estimulado de pouco ou nada serve.

bjs

tronxa disse...

ha muito boa gente por aí que so usa a cabeça para por o chapeu...!

mas, felizmente, tambem ha muita gente que faz bom uso da massa cinzenta!!

bjnhssss

Peach disse...

Pois, raras são as sociedades tal como acontece com as baruyas da nova-guiné, em que a mulher não é considerada inferior ao homem. Todos sabemos que as mulheres sabem subir arvores...e nem precisam aprender.
Penso que para além da razão histórica, há também a religião. Não precisamos ir muito longe, basta ver a católica. a mulher nasceu de uma costela de adão, maria madalena que acompanhou Jesus cristo, tem para o vaticano um significado irrelevante, enfim..

A igreja catolica foi fundada por s.pedro, porque segundo o vaticano foi a primeira pessoa a ver cristo após quando este ressuscitou... no entanto a biblia diz que foi maria madalena, e que cristo falou com ela. ora isto tem alguma lógica? já para não falar dos evangelhos apócrifos.


seja como for, o mais importante é homens e mulheres, saberem lidar naturalmente com as diferenças fisicas e psicologicas uns dos outros, não só para haver um bom relacionamento, como para serem iguais efectivamente

beijooo

alfabeta disse...

Concordo com a Korrosiva.

Mas a mulher é mais desenvolvida em termos de sentimentos que o homem e isso também está provado cientificamente.

;)

Vulgar disse...

korrosiva,
sim.
esse estímulo ou exercício, esse “trabalho”quando é intensivo pode transformar qualquer um em perito ou génio numa determinada área. por isso é frequente vermos especialistas altamente competentes na sua área que são autênticos desastres noutras, por exemplo na área social, porque precisamente não dedicam tempo a desenvolver essas outras competências.
bjs

tronxa,
eu bem que precisava de um chapéu... este sol começa a queimar-me a careca e os miolos.
bjs

Peach,
esse ponto é importante, a nossa cultura de raiz judaico-cristã promove a inferioridade da mulher, ponto.
e isso é um pouco paradoxal, porque são precisamente as mulheres que constituem a principal base da igreja, são elas maioritariamente que querem casar pela igreja, baptizar os seus filhos, e depois fomentam a sua educação, e são o elemento familiar agregador da participação nos rituais da religião, missas, etc.

quanto a saber lidar com as diferenças...uma vénia.
bjs

alfabeta,
sem duvida.
e é a educação tradicional e o ambiente cultural conduz a esse desenvolvimento especifico, acho.
bjs

BOM FIM DE SEMANA....

Ragazza disse...

Engraçado que ainda na semana passada estive a ler um artigo sobre isso. O prórpio autor defendia que os homens têm uma inteligencia espacial, como tu referis-te, e são melhores em calculos, pelo que cursos de engenharias e informáticas estejam preenchidos maioritariamente pelo sexo masculino.
Já a mulher têm uma inteligência dada às letras, às emoçoes e ao contacto com as pessoas, vai daí que cursos de enfermagem and so on, tenham mais mulheres a frequentá-los.
Claro que há excepções.

Vulgar disse...

Ragazza,
não conheço esse artigo e portanto não sei em que direcção aponta na dicotomia inato/adquirido. pelo que percebo do teu comentário parece defender a vertente "inata" das diferenças de capacidades masculina e feminina... enquanto aposto mais na vertente "adquirida"... mas enfim acho que o conhecimento nessa area provavelmente tem ainda um longo caminho a percorrer.
beijo